Managed ad

PILOTOS CEGOS

Os passageiros entram na aeronave, se acomodam em seus lugares e
logo em seguida entra o comandante usando óculos escuros e segurando uma bengala. Ao vê-lo, a comissária de bordo aproxima-se dele, toca-lhe braço, o comandante põe mão sobre o ombro dela e seguem os dois em direção à cabine de comando. Pouco depois, entra o co-piloto, também de óculos escuros, segurando a coleira do seu cão. A comissária aproxima-se, acomoda o cão num compartimento especial, o co-piloto põe a mão sobre o ombro da comissária e os dois seguem em direção à
cabine.
Alguns passageiros ficam um tanto preocupados com o perfil da
tripulação, mas a maioria não percebe nada diferente. A comissária
fecha a porta da aeronave, faz a inspeção dos passageiros para
assegurar-se de que todos estão com o cinto e senta-se em seu lugar.
A aeronave dirige-se para a cabeceira da pista, os motores roncam e lá vai ganhando velocidade. Vai cada vez mais rápido, e ganhando
velocidade, e ganhando velocidade, mas nada de sair do chão. Nisso, os passageiros percebem que já estão quase no finzinho da pista e nada de a aeronave decolar. E alívio de todos. Nesse momento, o comandante fala para o co-piloto:
- Qualquer dia desses essa turma não grita na hora certa e aí
estamos perdidos.